Progressistas gaúchos recebem Prêmio Congresso em Foco


Senadora Ana Amélia Lemos e deputado Jerônimo Goergen foram os únicos parlamentares do PP a integrar o grupo dos melhores do Congresso

        Brasília foi palco de uma noite diferente para política nacional nesta quinta-feira (26). Acostumada a escândalos, crises e denúncias envolvendo parlamentares e agentes públicos, desta vez os holofotes se acenderam para revelar o que há de melhor na Câmara e no Senado. Pelo 8° ano consecutivo, o Prêmio Congresso em Foco procura ressaltar o trabalho positivo realizado por deputados e senadores.

         Por meio da votação de jornalistas que cobrem o Congresso e da escolha feita pela internet, o Brasil conheceu um grupo de políticos que não cabe no conceito geral da classe. Conforme reportagem do site Congresso em Foco, nenhum dos premiados responde a processos de investigações criminais no Supremo Tribunal Federal (STF), nem está sob a mira dos conselhos de ética da Câmara e do Senado. Nenhum deles tem histórico de violações aos direitos humanos. Como determina o regimento, todos os congressistas que se enquadravam em pelo menos uma dessas condições sequer puderam ser votados. Como revela a última edição da Revista Congresso em Foco, 224 deputados e senadores respondem a 542 inquéritos e ações penais no STF.

         Entre os melhores representantes do Congresso, há dois integrantes do Partido Progressista. Ambos gaúchos. A senadora Ana Amélia Lemos, que está em seu primeiro mandato, aparece pela terceira vez consecutiva na lista dos melhores. Outro estreante no Legislativo, o presidente da Comissão de Integração Nacional, Desenvolvimento Regional e da Amazônia (CINDRA), deputado Jerônimo Goergen (PP-RS), surge pela primeira vez na relação. Segundo ele, a premiação funciona como um estímulo adicional. “Para quem optou pelo caminho de servir ao público, como eu fiz, se diferenciar pelo bom trabalho é motivo de orgulho. A ética, o comprometimento com a sociedade e a seriedade no trato com a coisa pública deveriam ser regra. Lamentavelmente não é. Por isso mesmo que temos que valorizar ainda mais o pioneirismo do Congresso em Foco, procurando fortalecer essa iniciativa”, destacou Jerônimo.

Histórico